OAB na luta pela vida dos gatos, junto aos abrigos

Os abrigos de animais do Rio de Janeiro, ganharam um novo motivo para comemorar. A partir de agora eles poderão conseguir o remédio contra a esporotricose (zoonose que acomete especialmente gatos)  mais rapidamente e providenciar o tratamento de forma qualificada,  com acompanhamento médico veterinário. Em reunião realizada na manhã desta terça (20), no Instituto de Medicina veterinária, entre o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais (CPDA), da OAB/RJ, Reynaldo Velloso, o presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), Cícero Pitombo  e o diretor geral do Instituto de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman(IJV), Gil Vicente, ficou acordado este benefício para as instituições. Dois seminários realizados este ano na sede da OAB com profissionais das áreas médicas e jurídicas, definiram a resolução que  já está sendo considerada como um grande avanço no apoio aos abrigos que não tem a possibilidade de levar dezenas e as vezes centenas de felinos até o IJV para receber o Itraconazol. Os Seminários I e II “ Esporotricose: a culpa não é do gato” tiveram como objetivo esclarecer a população sobre a real causa da doença, deixando claro que o gato não é o vilão e não deve ser mau tratado por estar doente. Na ocasião, foi lançada a "Agenda Esporotricose", planejamento que visava conseguir facilitar o tratamento da doença para ONGS e protetores de animais. Pelo acordo, o IJV determinará os protocolos necessários de fornecimento do medicamento e acompanhamento, o CRMV fiscalizará a atuação do veterinário responsável pelos laudos através de uma  comissão especialmente criada para isso e a CPDA/OAB, acompanhará os desfechos na salvação das vidas dos felinos e auxiliará a regulamentação e regularização dos abrigos. “Era nosso desejo antigo proporcionar aos abrigos esta logística. Esta medida vai salvar inúmeras vidas que antes, devido às faltas de condições operacionais não eram atendidas”, afirma o presidente da CPDA/OAB-RJ, Reynaldo Velloso. O diretor do CRMV/RJ, Cícero Pitombo, acredita que este é mais um avanço em favor dos animais e afirma ter sido dado um grande passo para resolver esta questão. Já, Gil Vicente, diretor do IJV, contou que faltava este diálogo. “Nossa intenção é colaborar para diminuir o a incidência dessa doença". O que é a esporotricose Causada pelo fungo Sporothrix schenckii, a esporotricose é uma micose que pode afetar animais e humanos. Desde o final da década de 1990, no Estado do Rio de Janeiro, tem sido grande a ocorrência da doença em animais, especialmente em gatos. Há tratamento para a micose, e o diagnóstico dos animais já pode ser feito na maioria das clínicas veterinárias. A recomendação é não abandonar ou sacrificar o animal com suspeita da doença. Deve-se Procurar o tratamento adequado e se informar sobre os cuidados que deve ter para cuidar de seu animal sem colocar em risco a própria saúde. Fonte: Observatório Animal Por Gisele Alves redacao@observatorioanimal.com