STF entende que vaquejadas são crueldade aos animais e não esportes

Na tarde desta quinta-feira (06), o Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, tomou uma decisão que vai entrar para a história da causa animal. Em uma votação bastante difícil, com 6 votos a 5, os ministros do STF decidiram que a vaquejada não é apenas um esporte ou atividade cultural, mas uma forma de tratamento cruel aos animais.

A decisão derruba uma lei do Ceará e abre caminho para que a prática seja extinta em todo o Brasil. A votação estava empatada e a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, foi quem desempatou. Ela disse que a prática usa de manifestações extremamente agressivas contra os animais.

“Sempre haverá os que defendem o que vem de longo tempo, que se encravou na cultura do nosso povo. Mas cultura também se muda e muitas foram levadas nessa condição até que se houvesse outro modo de ver a vida e não só a do ser humano. São manifestações extremamente agressivas contra os animais”, declarou a ministra.

Os ministros que votaram a favor dos animais e contra a vaquejada foram: Marco Aurélio, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Celso de Mello, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski.

Os que votaram contra os animais e a favor da vaquejada são: Edson Fachin, Gilmar Mendes, Teori Zavascki, Luiz Fux e Dias Toffoli.

Após a decisão vinda da mais alta corte do país, no caso de algum outro estado aprovar uma lei própria considerando a vaquejada como esporte e patrimônio cultural, esta lei poderá facilmente ser derrubada.

Fonte: Gisele Alves redacao@observatorioanimal.com